Respiração Longa e Profunda

resp_set_06_03a
Na Kundalini Yoga, quebra­mos o hábito de ignorar a res­piração – pensamos na respi­ração em termos amplos, muito mais do que uma sim­ples respiração. Consideramos que a respira­ção e seus movimentos estão conectados com os nossos movimentos, com todas as nossas emoções e os nossos pensamentos.

Sentado em postura de Meditação numa almofada, ou numa cadeira com a coluna reta, ou deitado sobre as costas (que é o melhor para iniciar). Coloque a mão esquerda sobre o abdome, e a mão direita no peito para sentir o movimento do diafragma.

Como fazê-la: Para estar certo de fazê-la corretamente, você precisa distinguir claramente as 3 partes da respiração: baixa ou abdominal, média ou peitoral e a alta ou clavicular. Uma respiração completa começa por encher o abdômen, depois expandir o peito e, por último levantar as altas costelas e a clavícula. A expiração é justamente o oposto: acomoda as altas costelas e clavículas, o meio do peito e, finalmente o abdômen, puxando o ponto do umbigo para trás em direção à coluna.

mod2-1b1. Respiração Abdominal: Deixe a respiração ir relaxando num movimento normal, regular e profundo. Traga sua atenção para a área do ponto do umbigo. Comece a respirar lenta e profundamente deixando que o abdômen relaxe e expanda. Enquanto expira, puxe gentilmente o umbigo para dentro e para cima em direção à coluna – para isso mantenha o peito relaxado. O foco de atenção fica inteiramente no baixo abdômen.

O músculo do diafragma separa peito e cavidade torácica, do abdômen e intestinos. É uma lâmina muscular larga e plana que está normalmente numa forma de cúpula. Conforme você relaxa o diafragma e expande o abdome, a cúpula se achata e um espaço extra é criado para expandir os pulmões acima dele. Quando você exala, a cúpula é recriada e o ar da parte baixa dos pulmões é empurrado para cima e para fora. Esta compressão permite que uma porção da parte baixa dos pulmões seja usada eficientemente. Se você não usa esta respiração, a parte baixa dos pulmões não é usada de forma eficiente.

Coloque uma mão no ponto do umbigo(entre 2 a 3 dedos abaixo do umbigo) e a outra no centro do peito. Na inspiração sinta elevar a mão que está sobre o umbigo. Na expiração deixe descer com calma. Com a outra mão, monitore o peito para ficar imóvel e relaxado – é uma excelente forma de percepção dos músculos envolvidos neste movimento. É o movimento natural da respiração.

Se você ainda tiver dificuldade com esta parte da respiração, deite-se de costas. Coloque um livro no ponto do umbigo e sua mão no centro do peito. Ao inalar, o livro sobe em direção ao teto. Ao exalar, abaixe-o à posição inicial. Com suas mãos, monitore o peito para que esteja parado e relaxado.

mod2-1a2. Respiração Peitoral: Sente-se com a coluna reta e mantenha o diafragma imóvel. Não deixe o abdome se estender. Inspire lentamente usando os músculos do peito – ele se expande usando os músculos intercostais, entre as costelas. Faça isto lentamente e focalizando a sensação de expansão. Expire completamente, mas não use o abdômen. Compare a profundidade e o volume da respiração abdominal isolada do primeiro exercício.

Se você colocar suas mãos na parte alta e na parte baixa das costelas, pode sentir como as costelas da parte mais baixa movem-se mais que as do topo. Elas são as costelas flutuantes e não são fixadas no esterno, como as costelas superiores. Muito da contribuição das costelas e dos músculos intercostais vem da expansão para fora e para os lados das costelas inferiores.

3. Respiração Clavicular: Sente-se reto. Contraia o umbigo para dentro, mantendo o abdômen contraído. Levante o peito sem inspirar. Agora, inspire lentamente expandindo os ombros e as clavículas. Expire enquanto conserva o peito levantado.

Juntando as etapas e formando a RLP:

Sente-se com a coluna ereta. Se a coluna estiver em uma posição equilibrada, as costelas e os músculos poderão se mover livremente.

Respirao7aComece a inspiração pela respiração abdominal. Adicione a respiração peitoral e termine com a respiração clavicular. Todas as 3 são feitas em um movimento suave.

Ao expirar, inicie relaxando a clavícula e, então, suavemente esvazie o peito. Finalmente, puxe o abdômen para dentro para forçar a saída de qualquer o ar remanescente.

Continue de forma rítmica, como o exercício requer.

Benefícios da Respiração Longa e Profunda

  1. Relaxa e acalma pela influência sobre o sistema nervoso parassimpático. Este relaxamento é de preferência de um modo mais ativo que passivo. Ele reajustará e iniciará seu cérebro para aquelas decisões corretas, que fluirão automaticamente em situações de crise.
  2. Dá energia, aumenta a vitalidade e a consciência para a força vital (prana) na respiração. Aumenta o fluxo de Prana.
  3. Reduz e previne a estocagem de toxinas, formadas pela limpeza do muco dos pequenos sacos de ar (alvéolos) dos pulmões.
  4. Estimula a produção de químicos (endorfinas) no cérebro, eliminando a tendência à depressão.
  5. Traz o cérebro para um novo nível de alerta.
  6. Bombeia o fluído espinhal para o cérebro, dando maior energia.
  7. A respiração longa e profunda aumenta a capacidade pulmonar e, acrescida da concentração, estimula a pituitária a secretar, melhorando a intuição e todo o poder da mente.
  8. Encher os pulmões até sua capacidade revitaliza, alimenta e reajusta o campo eletromagnético. Assim, fará você menos sujeito a ser vítima de acidentes, doenças ou negatividades.
  9. Limpa o sangue. Regula o pH do corpo (equilíbrio ácido-alcalino) que afeta sua habilidade para lidar com situações estressantes.
  10. Ajuda a liberar bloqueios no fluxo de energia dos meridianos.
  11. Ativa e limpa os canais nervosos.
  12. Ajuda a acelerar as curas, emocionais e físicas.
  13. Ajuda a quebrar hábitos, padrões, medos e vícios indesejáveis do subconsciente. Recanaliza condições mentais anteriores de dor, eliminando ou reduzindo as doenças (como, por exemplo, no nascimento de uma criança).
  14. Dá capacidade de controlar a negatividade e as emoções, mantendo clareza, cabeça fria, paciência e positividade.
  15. Reduz insegurança e medo.
  16. Restaura a aura.

Fonte:

  • O professor Aquariano / The Aquarian Teacher [100,p.92]

Referencias:


Manvir_Kaur Publicado com carinho por Josely Saldanha, professora de Kundalini Yoga formada em 2009 (Kundalini Research International). Instrutora de Hatha Yoga desde 2004. Pós Graduada em Ensino Superior de Yoga (Faculdades Espírita de Curitiba). Cursos anuais específicos de: Meditação, Respiração e Ajustes de Posturas. Estudante de Budismo e Teosofia. Praticante Iniciada em Kriya Yoga (Yogananda) e Magnified Healing.