Respirações Refrescantes – Excelentes para se fazer no verão

flower
O objetivo das respirações refrescantes é de regularizar funções da garganta, limpar cordas vocais, suavizar a voz e estimular as Correntes Prânicas (energia vital) desta área. Um movimento ascendente de ar leve e frio sobe até o Sexto e Sétimo Chakras (centros de energia).

Estas respirações trabalham em níveis diferentes:

  • No Corpo Físico, elas ativam o Sistema Nervoso Parassimpático, reduzem o metabolismo e a pressão arterial, relaxam a musculatura e trazem força e vitalidade. Desopilam o fígado e melhoram a ansiedade. Ajudam nos processos alérgicos e são usadas para baixar febre, para curar doenças digestivas.
  • No Corpo Energético, a energia se torna refrescante e calmante.
  • No Corpo Psico-Emocional, são boas para reduzir stress e tensão. São poderosas contra raiva e mágoa.
  • No Corpo de Sabedoria, trazem uma boa conscientização da boca e das vias respiratórias. É uma prática poderosa para internalização dos sentidos e concentração.

Em seguida, quadro técnicas de respiração:

  1. SITALI – Coloque a língua para fora boca dobrando formando uma canaleta. Lentamente sugue o ar através da canaleta e sinta a corrente de ar passando suavemente pela garganta e para dentro dos pulmões. Feche a boca e sinta uma suave pausa na respiração, sem forçar. Exale pelas narinas, lenta e profundamente, sentindo a movimentação do ar mais aquecido ao longo do canal de passagem. Sinta uma suave pausa na respiração, antes de começar novo ciclo. Área de conscientização: língua e garganta.
  2. SITKARI – técnica respiratória dental. Cerre os dentes, pressione a ponta da língua no o céu da boca, de modo que a língua dobrada venha para frente, entre os dentes. Sugue o ar através das aberturas circulares nas laterais da língua. Sinta a respiração expandir-se e refrescar a boca antes de descer para os pulmões. Feche a boca e sinta uma suave pausa na respiração, sem forçar. Exale lentamente através das narinas. A conscientização é difundida por toda a boca.
  3. SEDANTA – os dentes são cerrados e a ponta da língua pressiona, de dentro para fora, a parte posterior dos dentes. O ar é sugado através dos dentes e pelas gengivas, pela traquéia e entrando nos pulmões. A exalação e feita através das narinas. A conscientização é dirigida para as gengivas e secundariamente para a garganta.
  4. KAKI – faz-se um bico com a boca, formando um tipo de canudo, através do qual o ar é sugado. Sinta uma pequena pausa e exale pelas narinas. Como Sitali, forma corrente de ar que vai diretamente dos lábios até os pulmões. Os lábios são a área de conscientização.
    Pode ser feita uma variação aqui: A exalação também pode ser feita pela boca, eficaz para abertura do Chakra do Coração.

Um pouco mais sobre Sitali Pranayama:

Tal a importância dessa Respiração como Pranayama, o Sitali Pranayama, que Yogi Bhajan, nosso Mestre em Kundalini Yoga faz alguns comentários importantes sobre ela [110, p.190]:

Sitali Pranayama é a respiração do néctar da vida, que refresca. Algumas vezes vocês não entendem a respiração através da língua enrolada. Ela é muito refrescante. É a melhor para os rins e para as adrenais. Maravilhosa, absolutamente maravilhosa para o sistema urinário, muito boa para a testosterona e muito útil para a pituitária… uma respiração muito boa.”
“Esta respiração é usada freqüentemente para baixar a febre. Grande poderes de rejuvenescimento e de desintoxicação são atribuídos a esta respiração, quando praticada regularmente. Ela acalma e esfria a coluna na área da quarta, quinta e sexta vértebras que regulam a energia sexual e digestiva.”
Um aluno uma vez disse: “Escorre água de meu nariz e olhos quando eu faço Sitali Pranayama”. Yogi Bhajan respondeu: “Vocês deveriam fazer a Respiração de Fogo e depois equilibrar o metabolismo. O problema está no metabolismo. Sitali Pranayama é muito benéfico se puderem aperfeiçoá-lo, mas ele também tem que ser equilibrado pela Respiração de Fogo”.

Como a respiração é totalmente conectada à meditação e há inúmeras técnicas de meditação focadas na respiração, aqui vai uma técnica de respiração como meditação, na verdade, um Kriya de Kundalini Yoga, dado por Yogi Bhajan numa palestra de 27/12/95, usando Sitali Pranayama [110, p.193]:

“Sente-se calmamente em Postura Fácil com a coluna reta. Coloque a mão esquerda contra o peito com os dedos apontando para a direita e o polegar estendido para cima em direção ao queixo. Coloque a palma direita aberta sobre o dorso da mão esquerda. Os dedos da mão direita apontam para a esquerda e o polegar direito descansa sobre o peito e está estendido para cima em direção ao queixo. Inspire profundamente através das narinas e expire através da língua enrolada. (A boca está um pouco franzida, a língua estendida um pouco além dos lábios e curvada num formato de “U” como em Sitali Pranayama).” 31 minutos (iniciantes podem começar com 3 minutos).

Diz Yogi Bhajan que “é uma meditação calma, quieta, silenciosa e solitária. Ela lhes dará o mais profundo silêncio do ser. Vocês ouvirão o silêncio. Na meditação silenciosa vocês podem escutar a si mesmo. De outro modo, isso não é silêncio. Se estender ao ponto em que puderem escutar a própria batida do coração, vocês estarão feitos.”

Fontes:

  • Pranaa, Pranee, Pranayama – Yogi Bhajan (veja [110])
  • Apostilas dos Cursos de Formação em Yoga do Centro de Yoga Montanha Encantada Lílian e Joseph Le Page e do Curso de Formação da Maria Laura Packer.

 


Manvir_Kaur Publicado com carinho por Josely Saldanha, professora de Kundalini Yoga formada em 2009 (Kundalini Research International). Instrutora de Hatha Yoga desde 2004. Pós Graduada em Ensino Superior de Yoga (Faculdades Espírita de Curitiba). Cursos anuais específicos de: Meditação, Respiração e Ajustes de Posturas. Estudante de Budismo e Teosofia. Praticante Iniciada em Kriya Yoga (Yogananda) e Magnified Healing.